CURSOS GRADUAÇÃO
PÓS-GRADUAÇÃO
SERVIÇOS
GUIA ACADÊMICO 2013

Maria Silvia Fonseca Ribeiro CarVelho de Moraes
Diretora Geral

Gilmar dos Santos Nascimento
Vice-Diretor Geral

Maria do Perpetuo Socorro Rodrigues de Souza
Secretária Geral

Sumário

Apresentação........................................................................................................................... 04
O que é a METROPOLITANA................................................................................................ 04
Objetivos da Faculdade......................................................................................................... 05
Estrutura Organizacional........................................................................................................ 05
Corpo Docente......................................................................................................................... 07
Conselho Superior.................................................................................................................... 08
Conheça o Sistema de Avaliação.......................................................................................... 09
CEFICE, NAIA  e CPA...........................................................................................................10
Órgãos Suplementares........................................................................................................... 11
Informações Gerais................................................................................................................ 11
Tabela de Serviços Extra-Curricular...................................................................................... 17
Calendário................................................................................................................................ 18

Apresentação

O Guia Acadêmico constitui importante referência sobre a Faculdade e tem por finalidade transmitir informações à comunidade de acadêmicos da Faculdade METROPOLITANA, com o objetivo de proporcionar a todos um melhor aproveitamento da vida acadêmica.
Nele, encontram-se explicações sobre termos acadêmicos e financeiros, bem como Normas Regimentais e outras orientações essenciais à compreensão da organização acadêmica e financeira da Faculdade.
Além desses aspectos, são apresentadas informações de ordem prática, como orientação sobre o sistema de matrículas nas suas diversas modalidades e de aprovação, para facilitar o planejamento das atividades e procedimentos a serem considerados no decorrer do curso.
Leia-o cuidadosamente. Não julgue a relevância de um item, apenas pelo seu titulo. Leia tudo, mesmo que você acredite já conhecer a informação.
As informações contidas neste documento sofrerão modificações ao longo do tempo, que serão incorporadas nas próximas edições do Guia Acadêmico.  

O que é a Faculdade Metropolitana:

A FACULDADE METROPOLITANA, mantida pela União de Ensino Superior da Amazônia Ocidental S/C Ltda – UNNESA, autorizada pela Portaria Ministerial nº. 2074 de 18 de julho de 2002, para funcionamento do Curso de Educação Física, com duas entradas de 60 vagas anuais.
A Faculdade Metropolitana trata-se de instituições novas de ensino superior, mas que já se apresentam consolidadas no estado de Rondônia. É uma instituição de ensino superior, de pessoas jurídicas de direito privado com fins lucrativos.
A Faculdade Metropolitana ocupa instalações em sede própria, ocupando uma área de 12.000m2, na Rua Araras, 241, Bairro Jardim Eldorado, em Porto Velho, capital do Estado de Rondônia.
A Faculdade disponibilizará aos seus acadêmicos uma infra-estrutura capaz de suprir suas necessidades e de todo o curso, além de restaurante-lanchonete, área verde e estacionamento.
Conta com laboratórios, clínicas e amplas salas de aula climatizadas, além de recursos técnicos audiovisuais para um melhor acompanhamento dos acadêmicos aos assuntos ministrados por um corpo docente de qualidade, (Doutores, Mestres e Especialistas), para as disciplinas básicas, bem como para as profissionalizantes, com amplos conhecimentos profissionais, que asseguram uma linguagem moderna e atualizada de seus conhecimentos, interagindo com o corpo discente, facilitando o ensino aprendizagem e a integração professor-acadêmico.
A Faculdade Metropolitana iniciou suas atividades em Porto Velho/RO, em novembro de 2002, com o curso de Educação Física em regime de funcionamento noturno, oferecendo anualmente 120 vagas. Atualmente oferecemos além do curso de Educação Física, autorizado pela Portaria Ministerial nº 2075/02 – DOU 19/07/2002, os Cursos de Licenciatura Plena em Letras Português/Literatura, autorizado pela Portaria Ministerial Nº 604 de 27/08/2008, Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia – Séries Iniciais, autorizado pela Portaria Ministerial Nº 174, de 6/02/2009.

O conteúdo curricular é desenvolvido através de aulas teóricas em sala de aula, práticas em laboratórios bem como de extensão e pesquisa, e também por meio de seminários, palestras e outras atividades de atendimento e prestação de serviços junto à comunidade de Porto Velho. 

Objetivos da Faculdade

A Faculdade Metropolitana tem por objetivos:

  • Ministrar o ensino superior e treinamento profissional através dos cursos de graduação, no campo de conhecimento abrangidos pelas Ciências Humanas;
  • Realizar cursos de especialização e de aperfeiçoamento profissional;
  • Realizar cursos de difusão e extensão cultural;
  • Realizar cursos de mestrado e doutorado;
  • Efetuar serviços, dentro da sua área de atuação, quando solicitados pelos órgãos públicos e privados;
  • Colaborar, mediante preparação de pessoal especializado, nas tarefas de desenvolvimento e integração nacional e regional;
  • Contribuir, dentro das suas possibilidades, para o aperfeiçoamento do ensino e incremento da pesquisa científica no campo das Ciências Biológicas, Humanas e Exatas.

Estrutura Organizacional

São órgãos da Faculdade:

I – Conselho Superior;
II – Conselho Departamental;
III – Diretoria;
IV – Departamentos.

  • Órgãos suplementares:
  • Biblioteca;
  • Secretaria Acadêmica;
  • Laboratórios;
I. DIRIGENTES DA INSTITUIÇÃO           
                                      
Diretor Geral Dr.ª Maria Silvia Fonseca Ribeiro CarVelho de Moraes
Formação: Economista, Advogada, jornalista.
Licenciada em História
Especialista em:
- Saúde Publica
- Planejamento Regional
- Vigilância Sanitária e Epidemiológica
  Mestranda pela UNB em Ciências da Saúde

Vice – Diretora Geral: Gilmar dos Santos  Nascimento
                   
- Formação: Graduado em História
- Mestre em Sociologia

- Diretora Acadêmica:    Profª. Ms. Valdira Abreu Magalhães Nina Lee de Sá

- Coordenadora Acadêmica:    Profª. Ms. Maria José Ribeiro de Souza

- Coordenação Pedagógica:     Profª. Esp. Carla Aguiar Machado

- Núcleo de Acompanhamento e Integração Acadêmica:

- Coordenação de CIFICE
   Coordenadora: Profª Dra. Francisca da Luz Dias

- Coordenação da CPA
   Coordenadora: Profª Ms. Maria José Ribeiro de Souza

Integralização dos Cursos.

CURSOS

INTEGRALIZAÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA

4 anos

LETRAS

3,5 três anos e meio

PEDAGOGIA

4 anos

Direitos e Deveres do Corpo Discente.

CAPÍTULO II – Do Regimento Geral estabelece em seus artigos que:

Art. 97. São direitos e deveres dos membros do corpo discente:

I – freqüentar as aulas e demais atividades curriculares, aplicando a máxima diligência no seu aproveitamento.
II – utilizar os serviços administrativos e técnicos oferecidos pela Faculdade;
III – recorrer de decisões dos órgãos deliberativos ou executivos;
IV – observar o regime escolar e disciplinar e comportar-se, dentro e fora da Faculdade, de acordo com princípios éticos condizentes;
V – zelar pelo patrimônio da Faculdade.

Art. 98. O corpo discente tem como órgão de representação o Diretório Acadêmico, regido por Regimento próprio, por ele elaborado, de acordo com a legislação vigente.

§ 1º. A representação tem por objetivo promover a cooperação da comunidade acadêmica e o aprimoramento da Faculdade, vedadas as atividades de natureza político-partidária, bem como a participação em entidades alheia à Faculdade;

§ 2º.  Compete ao Diretório Acadêmico indicar os representantes discentes, com o direito à voz e voto, nos órgãos colegiados da Faculdade, vedada a acumulação;

§ 3º. Aplicam-se aos representantes estudantes nos órgãos colegiados, as seguintes disposições:

  • são elegíveis os acadêmicos regulares, matriculados em, pelo menos três disciplinas, importando a perda dessas condições em perda de mandato;
  • os mandatos têm duração de um ano, permitida uma recondução;
  • o exercício da representação não exime o estudante do cumprimento de suas obrigações acadêmicas.

Conselho Superior da Faculdade Metropolitana

CAPÍTULO II – Do Conselho Superior

Art. 5º. O Conselho Superior, órgão superior deliberativo em matéria didático – científica e disciplinar, é constituído:
I – pelo Diretor Geral, seu presidente;
II – pelo Vice-diretor;
III – pelos Chefes de departamentos;
IV – pelos representantes dos professores;
V – pelos representantes dos acadêmicos, sendo um de cada curso oferecido;
VI – por dois representantes da Comunidade.
§ 1º. Conselho Superior da Faculdade Metropolitana-RO. Será composto de 10 (dez) membros, sendo 70% (setenta por cento) de docentes, escolhidos entre seus pares, um (01) representante do corpo discente, e dois (02) da comunidade, sendo um da área de saúde, além dos diretores.
§ 2º. Os representantes da comunidade serão escolhidos pelo Conselho Superior, dentre os nomes apresentados pelas próprias classes representativas;
§ 3º. O Conselho Superior será presidido pelo Diretor Geral.
Art. 6º. O Conselho Superior reúne-se, ordinariamente e, extraordinariamente quando convocado pelo presidente, por iniciativa própria ou a requerimento de 2/3 dos membros que o constitui.
Art. 7º. Compete ao Conselho:
I – analisar e apreciar o regimento da Faculdade com seus respectivos anexos e sua alteração;
II – aprovar o plano anual de atividades da Faculdade;
III – delinear em seu nível cursos de graduação mediante prévia autorização da Mantenedora;
IV – aprovar a indicação de professores auxiliares e titulares para contratação pela Mantenedora;
V – decidir os recursos interpostos de decisões dos demais órgãos, em matéria didática - científica e disciplinar;
VI – sugerir medidas que visem ao aperfeiçoamento e desenvolvimento das atividades da Faculdade, bem como opinar sobre assuntos pertinentes que lhe sejam submetidos pelo Presidente;
VII – aprovar alterações nos projetos de cursos por proposta dos departamentos;
VIII – aprovar os cursos de extensão;
IX – apreciar edital de processo seletivo para os cursos de graduação;
X – aprovar alteração do Regimento Geral com a presença de 2/3 de seus membros.
Parágrafo único. Das decisões do Conselho Superior cabem recursos aos órgãos competentes.

Conheça o Sistema de Avaliação

CAPÍTULO VI – Do Regimento Geral estabelece em seus artigos que:

DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR

Art. 82. A avaliação de desempenho escolar é feita por disciplina, incidindo sobre a frequência e o aproveitamento.

Art. 83. A freqüência às aulas e demais atividades escolares, permitida apenas aos matriculados, é obrigatória, vedado o abono de faltas.

§ 1º. Independentemente dos demais resultados obtidos, é considerado reprovado na disciplina o acadêmico que não obtenha freqüência de no mínimo 75% (setenta e cinco por cento) das aulas e demais atividades programadas.

§ 2º. A verificação e registro da freqüência é de responsabilidade do professor.

Art. 84. O aproveitamento escolar é avaliado através de acompanhamento continuo do acadêmico e dos resultados por ele obtidos nas provas, trabalhos, seminários etc.

§ 1º. Compete ao professor a aplicação de atividades acadêmicas, bem como julgar os seus resultados.

§ 2º.  As atividades clínicas serão avaliadas pelo docente em conformidade com a sua natureza.

Art. 85. Ao acadêmico que requerer, provas repositivas serão concedidas, desde que não tenha alcançado a média mínima para aprovação na disciplina.

Art. 86. A cada verificação de aproveitamento é atribuída um nota, expressa em grau  numérico de 0 (zero) a 10 (dez).

§ 1º. Ressalvado o disposto no § 2º, atribui-se a nota 0 (zero) ao acadêmico que deixar de submeter-se à verificação prevista, na data fixada, bem como ao que nela se utilizar de meio fraudulento.

§ 2º. Ao acadêmico que deixar de comparecer à verificação na data fixada, pode ser concedida segunda oportunidade, requerida no prazo de 5 (cinco) dias, se comprovado motivo justo.

§ 3º. Pode ser concedida revisão da prova, quando requerida no prazo de 2 (dois) dias  úteis após a divulgação das notas por parte do docente.

Art. 87. Atendida em qualquer caso a freqüência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) às aulas e demais atividades acadêmicas, é aprovado:

I – o acadêmico que obtiver nota de aproveitamento igual ou superior a 7 (sete) correspondente à média das notas das atividades acadêmicas realizadas durante o período letivo, com as ponderações aprovadas pelo Conselho Departamental;

II – mediante provas repositivas, o acadêmico que obtiver média aritmética, entre as notas atribuídas as provas e trabalhos acadêmicos igual ou superior a 7 (sete);

Parágrafo único. As médias são apuradas até a primeira decimal sem arredondamento.

Art. 88. Atendida a freqüência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) às aulas e demais atividades e não alcançada à média mínima para aprovação o discente poderá submeter-se a uma prova repositiva.

Art. 89. O acadêmico reprovado por não ter alcançado, seja a freqüência, sejam as notas mínimas exigidos, repetirá a disciplina, sujeito, na repetência, às mesmas exigências de freqüência e de aproveitamento, estabelecidas neste Regimento.

O que é o CIFICE

O CIFICE, Centro Integrado de Fomento à Iniciação Cientifica e Extensão da Faculdade METROPOLITANA, foi criado em 2002, por um grupo de pesquisadores desta Instituição sobre a coordenação do Dr. Carlos Alberto Paraguassu Chaves. Esse centro surgiu da necessidade que esse grupo sentiu de fomentar a pesquisa científica entre os discentes e docentes da Instituição. Sua criação foi fundamentada no artigo 43 da Lei n° 9394/96, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.
A direção geral da Faculdade na pessoa do Professor Aparício CarVelho nomeou a professora Francisca da Luz Dias Coordenadora de Pesquisa e Extensão da Faculdade METROPOLITANA dando todo apoio para que esses projetos possam ser executados. Dessa forma o objetivo maior da Coordenação de Pesquisa e Extensão da METROPOLITANA é alavancar a pesquisa na Instituição visando formar o tripé exigido pelo MEC para as IES que é Ensino, Pesquisa e Extensão.
Sua principal missão é desenvolver a pesquisa e extensão no sentido de melhoria da qualidade de vida da população urbana e rural do Estado de Rondônia e da Amazônia. Hoje o CIFICE está sobre a Coordenação da Professora Dra. Francisca da Luz Dias.

Conheça o NAIA

O Núcleo de Acompanhamento e Integração Acadêmica (NAIA) é parte integrante da estrutura administrativa da Faculdade Metropolitana e tem por finalidade a orientação e assistência ao alunado, mediante seu desenvolvimento integral e harmonioso, a otimização de seus recursos pessoais, de forma a alcançar e assegurar a manutenção de níveis de excelência nas relações interpessoais, com impactos benéficos no processo de aprendizagem.
É constituído por uma equipe multiprofissional, com formação em pedagogia e psicologia, com habilitações em orientação educacional e psicopedagogia. Para alcançar plenamente seus objetivos, o NAIA conta com uma equipe de apoio técnico-administrativo.

Saiba o que é a CPA (Comissão Própria de Avaliação)

A auto-avaliação institucional é uma atividade de caráter formativo, diagnóstico e de compromisso coletivo, que tem por objetivo identificar o seu perfil e o significado de sua atuação por meio de suas ações, cursos, programas, projetos e setores observados os princípios do SINAES - Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior.
Ela é composta por representantes de todos os segmentos da comunidade acadêmica e da sociedade civil organizada. Ao final do Processo de auto-avaliação, serão prestadas todas as informações pertinentes as suas atividades a todos os segmentos da IES, apresentando relatórios de resultados, pareceres e, eventualmente, recomendações.
Avaliar a eficácia e efetividade acadêmica e social das ações educacionais desenvolvidas pela Metroplitana para definir o seu perfil institucional;
Manter-se atualizada e em sintonia com a política nacional de avaliação da Educação Superior;
Subsidiar de modo pleno a gestão acadêmica rumo a potencialização e desenvolvimento do desempenho.

Órgãos Suplementares

Biblioteca

  • Bibliotecário Responsável

Edson Rodrigues Cavalcante

  • Acervo

O acervo geral de livros da Metropolitana está ordenado por assunto de acordo com a Classificação Decimal Universal – CDU.
1. Seção de referência: acervo geral de livros e obras de referência esta última é permitida somente a consulta no local;
2. Seção de periódicos: anuários, relatórios, guias, catálogos, sinopses, jornais locais e revistas técnico-científicas e gerais, nacionais e internacionais;
3. Seção de materiais especiais: clippings, folhetos, TCC’s, teses, dissertações, Bases de dados em Cd-rom’s, cd-rom, fitas de vídeo, Dvd’s e slides.

  • Materiais que circulam por empréstimo

Livros e Periódicos.

  • Materiais que não circulam

Trabalhos Acadêmicos, Monografias, Dissertações, Teses.
Obras de referências (dicionários, enciclopédias, compêndios, índices, bibliografias, etc.).
Multimeios (fitas de vídeos, cd's, dvd’s, etc.)

  • Prazos de empréstimos

Empréstimos domiciliar padrão: 3 dias.
Empréstimo domiciliar especial: impedido até 30 minutos antes do fechamento da Biblioteca.

  • Limite de obras

Empréstimo domiciliar padrão: 3 documentos.
Empréstimo domiciliar especial: 1 documento.

  • Renovação

Poderá ser realizada desde que o material não esteja reservado por outra pessoa.

  • Reserva

A reserva é local;
Poderá ser feita para obras que não estiverem disponíveis;
É nominal e obedecera a uma ordem cronológica de pedidos;
Obedecerá prazo de validade igual ao de empréstimo.

  • Devolução

As obras deverão ser devolvidas dentro do prazo de empréstimo estabelecido acima. A não devolução na data prevista, qualquer que seja o tipo de material emprestado implica na cobrança de multa diária. No caso de empréstimo especial a multa será cinco vezes o valor cobrado pelo empréstimo padrão.
O empréstimo é intransferível, ficando sob a responsabilidade de requisitante a devolução das obras no prazo determinado.
O usuário em débito com a Biblioteca perderá o direito a novos empréstimos até a regularização de sua situação.

  • Reposição de Materiais

Em caso de perda, extravio ou qualquer dano físico, constatado no material, o usuário deverá realizar a reposição do material, substituindo-o por:

  • Outro exemplar (autor, título da obra, data de publicação e edição igual ou superior ao da obra em questão);
  • Obra similar (em caso de obras esgotadas);
  • Obras definidas conforme Política de Desenvolvimento de Coleção da Biblioteca.
  • Área da Biblioteca: 385m2.

Devidamente equipada para atender os usuários, a Biblioteca da METROPOLITANA disponibiliza ambiente climatizado com ar condicionado, iluminação artificial satisfatória, sala de processamento técnico, sala de multimeios, sala de estudo em grupo, salão de leitura, cabinas de estudo individual e acesso a internet.

  • Funcionamento

De Segunda a Sexta, no horário das 08 às 22 horas e, aos sábados, das 08 às 12 horas.

 

Laboratório de Informática

A METROPOLITANA conta neste ambiente com 80 (oitenta) microcomputadores exclusivamente para as aulas práticas de informática. Eles estão divididos em duas salas especialmente edificadas para este fim.

 

Laboratório Multidisciplinar

Devidamente equipado com materiais específicos de ultima geração. Neste local são desenvolvidas as aulas práticas das disciplinas de Genética, Bioquímica, Microbiologia, Imunologia, Fisiologia, Patologia Geral, Histologia/Embriologia, Anatomia e Radiologia. Conta com 21 microscópios e conjuntos de lâminas preparadas, entre outros equipamentos: estufas e destilador de água etc.

 

Ambulatório Psicológico

A ser vinculada aos Cursos de Educação Física, Pedagogia e Letras, o Ambulatório Psicológico tem como objetivo possibilitar aos acadêmicos, intercâmbio entre a teoria e a pratica clinica por meio de atendimento psicológico a comunidade carente da região. O acadêmico compreenderá o contexto social em que está inserido e suas possibilidades de intervenção. O Ambulatório de Atendimento Psicológico também manterá parcerias que visam a promover o conhecimento e a pratica do acadêmico em atividades no âmbito escolar, institucional/comunitário e organizacional.

 

Bio-Segurança

O Manual de Normas para o Controle de Infecções e Biossegurança da Faculdade prevê uma série de ações voltadas para a minimização de riscos que possam vir a comprometer a saúde dos usuários e do meio ambiente e, ainda, a qualidade dos trabalhos que serão desenvolvidos nos laboratórios. Este Manual trata, dentre outras coisas, dos requisitos básicos para a proteção da vida e da propriedade nas suas dependências, onde são manuseados produtos químicos e equipamentos. Essas normas se aplicam a todas as pessoas alocadas no laboratório e também àquelas que não estejam ligadas ao mesmo, mas que tenham acesso ou permanência autorizada às suas dependências.

 

Laboratório de Anatomia Humana

As aulas práticas de Anatomia Humana serão desenvolvidas nos laboratórios da Faculdade (02 laboratórios) equipados com peças anatômicas (manequins plásticos) e outros materiais específicos, cadáveres e peças anatômicas dissecadas de cadáveres e esqueletos humanos. A faculdade ainda conta com a realização de aulas no Instituto de Médico Legal – IML, por meio de acordo de cooperação firmado com aquele órgão.

LACIFE

 Laboratório de Cineantropometria e Fisiologia, que atende Fisiologia geral, Fisiologia do Exercício, Biomecânica do Movimento Humano e Nutrição aplicada a Educação Física, e outras relacionadas.

Auditório

O confortável e amplo auditório inaugurado no ano de 2003, conta com 180 lugares e modernos equipamentos de som e imagem que o capacitam para as mais diversas atividades acadêmicas e extra-curriculares.
Reserva e Uso.: A reserva para seu uso deve ser feita com no mínimo 02 dias de antecedência na Secretária Geral Acadêmica, em formulário próprio, devendo ser discriminado data, horário, equipamentos a serem utilizados e atividade a ser desenvolvida.

 

Informações Gerais

Secretaria Geral Acadêmica
Secretária: Luana de Lima Borges

A SGA está subordinada à Diretoria Geral, é responsável pelos registros, arquivos, expedições e encaminhamentos relativos às atividades acadêmicas.

Central de Atendimento
(069) 3217 8901  /  3217 8903

SOLICITAÇÕES A SGA:

Todo e qualquer documento somente poderá ser solicitado pelo próprio acadêmico ou por seu representante legal.
1º Passo – Pagar taxa devida na Tesouraria ( andar térreo prédio administrativo)
2º Passo – Entregar solicitação no Protocolo da SGA ( 1º andar prédio administrativo)
3º Passo – Aguardar que documento fique pronto no prazo determinado pela SGA.

 
Aproveitamento de Estudos

O Aproveitamento de Estudos é permitido a portadores de diploma de curso superior. Para tanto o interessado deverá apresentar, em data estipulada no Calendário Acadêmico dos Cursos a seguinte documentação para análise:
- Diploma
- Histórico Escolar
- Conteúdo Programático das Disciplinas

 

 

Dispensa de Disciplinas

Análise Curricular – Todo acadêmico tem direito, após a matrícula, ao reconhecimento de estudos já realizados que lhe permite a dispensa das disciplinas já cursadas, cabendo ao órgão técnico da METROPOLITANA decidir sobre a conveniência didática em conceder a dispensa solicitada. Esse pedido deverá ser feito junto a SGA, no prazo estipulado no Calendário Escolar, devendo o interessado entregar: cópia autenticada do histórico escolar da escola de origem e o programa das disciplinas objeto do pedido.

 

Faltas  

Art. 83 (Regimento Interno).-  A freqüência às aulas e demais atividades escolares, permitida apenas aos matriculados, é obrigatória, vedado o abono de faltas.
A freqüência do acadêmico aos cursos de graduação é obrigatória?
R.: O art. 47, § 3o, da Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, dispõe que é obrigatória a freqüência de acadêmicos e professores, salvo nos programas de educação a distância, que se regem por outras disposições.. Não existe legalmente abono de faltas É admitida, para a aprovação, a freqüência mínima de 75% da freqüência total às aulas e demais atividades escolares, em conformidade com o disposto na Resolução no 4 de 16/9/86, do extinto Conselho Federal de Educação.
Há exceções, previstas em lei, com referência à freqüência às aulas? Em que consiste o regime de exercícios domiciliares?
R.: Há. O regime de exercícios domiciliares, instituído pelo Decreto-Lei nº 1.044, de 21 de outubro de 1969, constitui-se em exceção à regra estabelecida na LDB. A sua aplicação deverá ser considerada institucionalmente, caso a caso, de modo que qualquer distorção, por parte acadêmico ou da instituição de ensino, possa ser corrigida com a adoção de medidas judiciais pertinentes. Além disso, a Lei nº 6.202, de 17 de abril de 1975, dispõe que a partir do oitavo mês de gestação, e durante três meses, a estudante grávida ficará assistida pelo regime de exercícios domiciliares. Finalmente, o art. 7°, §5°, da Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004, determina que as instituições de Educação Superior deverão abonar as faltas do estudante designado membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES, que tenha participado de reuniões em horários coincidentes com os das atividades acadêmicas. Não existem outras exceções. Os acadêmicos Adventistas do 7° Dia têm que freqüentar às aulas nas noites de sexta-feira.
Como faço para ter direito ao regime de exercícios domiciliares?
R.:  O acadêmico terá direito a compensar suas aulas  e atividades acadêmicas, realizando trabalhos domiciliares. Os referidos trabalhos serão solicitados ao professor, após deferimento do pedido do Gestor Acadêmico do Curso. Os pedidos serão deferidos de:

  1. Doenças, Traumatismos e outras Condições Perturbadoras da Saúde, que gerem incapacidade para freqüência às aulas, comprovadas por atestado médico.
  2. Gravidez, a partir do oitavo mês de gestação, pelo prazo de três meses.

Em ambos os casos ( 1 e 2 ), o direito de compensar ausência com trabalhos escolares domiciliares não se estende às avaliações do desempenho escolar, isto é, não substitui as avaliações aplicadas em sala de aula no período de afastamento. A duração do sistema excepcional de compensação não poderá ultrapassar o máximo de ausências ainda admissível, em cada caso, para continuidade do processo ensino-aprendizagem.

Há abono de faltas ?

R.:  O abono de faltas não é previsto na legislação brasileira, exceto no caso de acadêmicos pertencentes a Órgão de Formação de Reserva que seja obrigado a faltar às suas atividades civis, para exercício de manobra, ou de reservista do Serviço Militar que seja chamado para fins de exercício de apresentação de reserva ou de cerimônia cívica do Dia do Reservista.

O Nome não Consta da Lista de Presença

Se, após efetivar a matrícula, o nome do acadêmico não constar na lista de presença emitida pela SGA de uma ou mais disciplinas, ele deve imediatamente regularizar a situação, para tanto deve dirigir-se a SGA dentro dos prazos previstos no Calendário Acadêmico para verificação do ocorrido e alteração do plano de estudos se for o caso.

Atenção: Todo nome acrescido manualmente às listas de presença sem a devida autorização da SGA ou a provas não serão considerados, bem como as respectivas assinaturas. Todos os atos acadêmicos realizados, sem que o acadêmico não esteja regularmente matriculado na(s) disciplina(s)/turma(s), não serão considerados.

 

Prazo de Integralização

O acadêmico poderá integralizar o currículo de seu curso em um numero de anos  maior que o previsto na respectiva seriação, observando o limite máximo estabelecido pela legislação em vigor.
A duração de cada curso (mínima e máxima) é estabelecida pelo Ministério da Educação. O prazo é contado a partir do momento da primeira matrícula, mesmo que essa tenha ocorrido em outra Instituição de Ensino (ingresso por transferência externa) ou que o acadêmico tenha feito transferência de curso dentro da METROPOLITANA. Somente com novo Processo Seletivo (Programa de Aproveitamento de Estudos, que consiste na análise do Histórico Escolar da graduação) é possível reiniciar contagem de tempo para a conclusão de um curso, caso o interessado venha a ser classificado.

 

Trancamento de Matrícula

È a interrupção do curso por solicitação formal do acadêmico das atividades acadêmicas, que se estenderá por no máximo 02 (dois) anos. Nesse período, o acadêmico permanecerá vinculado à Faculdade, na qualidade de “acadêmico sob trancamento”, e não serão considerados quaisquer atividades ou registros acadêmicos. O período de trancamento não será considerado para computação do prazo de integralização do curso.
- Solicitação do Trancamento de Matrícula.
O acadêmico pode requerer trancamento a SGA, observadas as normas que regem esse procedimento. O trancamento concedido por solicitação do acadêmico, vigorará a partir da data de seu deferimento.

 

Transferências

Há duas modalidades de transferência:
-Transferência Externa
Destinadas a acadêmicos de outras  Instituições de Ensino Superior – IES – que queira transferir-se para a METROPOLITANA. A transferência só será concedida para o mesmo curso ou para cursos afins, desde que haja vaga e seja solicitada dentro dos prazos estipulados no Calendário Escolar.
- Transferência Especial
Propicia o ingresso na METROPOLITANA a estudantes vindos de outras IES, independente de vaga ou época. Esta modalidade só se aplica a servidores públicos ou membros das Forças Armadas, como mudança domiciliar obrigatória por força de remoção ou de transferência funcional.

Tabela de Serviços extracurriculares

Ord.

Documento

Valor
(R$)

Ord.

Documento

Valor (R$)

01

Taxa de Expediente

10,00

11

Requerimento de Matricula (fora do prazo)

150,00

02

Atestado de Matricula

20,00

12

Reabertura de Matricula

150,00

03

Atestado de Freqüência

20,00

13

Inclusão de Disciplina ( Req. - dependência)

15,00

04

Histórico Escolar

40,00

14

Trancamento de Matricula

150,00

05

Programa de Disciplina  (unitário)

5,00

15

Transferência para a Faculdade

15,00

06

Aproveitamento de Disciplina (por disciplina)

15,00

16

Solicitação de Vaga (portador de diploma)

60,00

07

Justificativa de Faltas

20,00

17

Dispensa de Disciplina (por disciplina)

15,00

08

Revisão de Prova

20,00

18

Transferência da Faculdade

160,00

09

Prova de Segunda Chamada

50,00

19

Atestado de conclusão de curso

30,00

10

Prova Repositiva

50,00

 

 

Observações:

  • O acadêmico ou seu procurador legal deverá solicitar o documento desejado junto ao Protocolo Geral da METROPOLITANA através do formulário específico e pagar a taxa correspondente junto a Tesouraria.
  • O acadêmico ou seu procurador legal deverá consultar previamente o Protocolo quanto ao prazo para a entrega do documento.

 

  • O uso do BRANCO é obrigatório para os cursos da área de saúde, bem como o logotipo da FIMCA nos jalecos.
  • O uso do Crachá de Identificação do Docente é obrigatório no Campus da METROPOLITANA e para os discentes nos locais de realização de estágios e extensão.
Faculdade Metropolitana - Rua: Araras, 241 Bairro: Jardim Eldorado - Porto Velho-RO
Todos os Direitos reservados - 2009